Mínimos de 4 anos para taxas de juro do crédito habitação

mínimos de jurosO Instituto Nacional de Estatística deu conta de nova descida nos juros no crédito à habitação para os 1.615 porcento, a percentagem mais baixa desde que o INE começou a registar destes valores, fazem já mais de três anos.

Este valor representa uma queda de 0.086 pontos percentuais em relação ao valor verificado em Novembro, que se quedou pelos 1.701%.

Fazendo a comparação a um ano, com Dezembro de 2011, a queda é de 1.099 pontos percentuais.

Para os contratos de crédito para aquisição da casa que tenham sido realizados no último trimestre do ano, o INE apurou uma taxa de juro implícita de 3.437%, menos 0.095 pontos percentuais do que no mês anterior. Mais uma vez, estes foram os valores de fecho do ano e referem-se a Dezembro de 2012.

Do mesmo modo, convém precisar, que o indicador utilizado pelo Instituto Nacional de Estatística refere-se à taxa de juro implícita, que representa a relação entre os juros vencidos para a cobrança do crédito à habitação num mês em particular.

Ainda de acordo com o mesmo conjunto de dados oriundos do INE e divulgados pelo Público, a prestação média nos créditos habitação caiu em Dezembro três euros em relação ao mês anterior, perfazendo 265 euros.

Já para o crédito habitação que tenha sido contratado nos últimos 3 meses, a queda foi de 14 euros.

A queda nos juros à habitação tem sido contínua desde Dezembro de 2011, mês a partir do qual a Euribor tem renovado mínimos históricos em todos os prazos.

A tendência tem ocorrido como resposta à redução das taxas de juro de referência ditadas pelo BCE – Banco Central Europeu.

Para este início de ano, muitos observadores entendem que o BCE procederá a nova redução.

Ainda sem comentários.

Deixe um comentário