Arrendamento é o futuro do imobiliário

Arrendamento e ImobiliárioO diretor de expansão da Century 21 França, Bahi Khoury, participou da 7.ª Convenção da Century 21 Portugal e deu um depoimento muito válido em que no seu entendimento o futuro do imobiliário no nosso país passa pelo arrendamento. Bahi Khoury admite as dificuldades do imobiliário em Portugal, mas vê sinais e indícios de crescimento da indústria no curto prazo.

Bahi Khoury aposta no arrendamento e na gestão como soluções imediata para a Century 21 e para o imobiliário em geral. Outra abordagem a explorar será o desenvolvimento por via da celebração de parcerias com entidades bancárias, seguradoras e outras instituições com necessidades da mediação imobiliária.

A Century 21 em França existe há 25 anos. A estratégia da Century 21 assenta na continuidade e passa pelo constante desenvolvimento da rede para chegar a mais franjas de mercado. A Century 21 é líder em França em mediação mas não o é em gestão.

O responsável entende que as agências Century 21 devem ser incentivadas a desenvolverem a atividade de gestão, no sentido de continuarem a desenvolver o negócio vocacionado para os profissionais de comércio e de indústria.

São novecentas as agências Century 21 em território francês e a empresa de imobiliário tem um objetivo que não passa puramente pelo crescimento para um número expressivo de mil ou duas mil agências, mas antes por ter uma rede que se deve manter líder no mercado nas várias vertentes.

Mais. A Century 21 atingiu o objetivo de ser líder em termos globais, e passámos a ter como objetivo que cada rede seja líder no seu território.

Mercado imobiliário em Portugal

A crise europeia e mundial está a afetar o mercado do imobiliário está a ser afetado, como está a interferir com a generalidade das indústrias. O imobiliário não escapou à crise económica, uma vez que os consumidores têm visto o seu poder de compra ser reduzido drasticamente ao longo dos últimos anos, para já não falar da crise de financiamento, que se faz sentir mesmo para clientes solventes.

Não apenas Portugal, mas também Espanha ou o Reino Unido têm condições de financiamento muito mais restritivas que noutros mercados como o francês e o alemão.

Por outro lado, o downgrade que as agências de rating têm infligido a diversos países, com destaque para Espanha, irá acentuar o moral dos profissionais e a crise onde a indústria do imobiliário já se encontra.

Também em Portugal, a dificuldade é nítida na tentativa de acesso à propriedade e daí estarmos a ver um número cada vez maior de jovens que têm de optar pelo arrendamento.

Futuro do imobiliário passa pelo arrendamento

O futuro do negócio imobiliário em Portugal passa pelo arrendamento, aliás, em França essa foi a solução para a rede Century 21 desde há alguns anos.

Bahi Khoury considera que o agente imobiliário não deve intervir apenas nas transações de propriedade, o agente imobiliário deve entrepor-se em todas as áreas onde o imobiliário esteja envolvido.

Tratar da gestão de imóveis, realizar os arrendamentos e no final de todos estes processos deve fazer a transação.

Bem vistas as coisas a transação final não é mais do que o final de um circuito.

Começamos por arrendar uma casa quando jovens, depois compramos um apartamento pequeno e mais tarde, um espaço maior.

Em Portugal o cenário tem sido diferente e isso reflete uma grande diferença entre o mercado francês e o mercado imobiliário português. Em França são poucos os proprietários, quando comparados com o nível encontrado em Espanha e em Portugal.

Cerca de 56 porcento dos franceses são proprietários da sua residência habitual, enquanto na península ibérica este número aproxima-se dos 80 porcento.

Bahi Khoury acredita no potencial do negócio do arrendamento e da gestão, tanto mais que são atividades que credibilizam a indústria e os seus agentes, e que na ótica da rede de mediação trará um apport significativo ao nível do volume de negócio.

Este negócio permite à agência ter um resultado todos os meses e não ficar dependente de um hipotético negócio que poderá aparecer dentro de meses para liquidar os seus compromissos.

Um Commentário “Arrendamento é o futuro do imobiliário”

  1. Maria Miquelina Trindade Santos Dias

    Abr 04. 2012

    Boa tarde comprei uma casa em 2001, neste momento sinto dificuldade em pagar o empréstimo, o meu marido teve um AVC, em outubro de 2011, os rendimentos baixaram, além disso tenho uma filha na universidade que nem sequer teve direito a bolsa de estudo devido ao IRS ser de 2010, tenho empréstimo e uma unidade de cuidados continuados a pagar, por vezes não sei o que fazer, tenho o empréstimo no Barclays será que posso vender a casa ao fundo de investimento e ficar na mesma a habitá – la?
    com os melhores cumprimentos
    Miquelina Dias

Deixe um comentário